domingo, 28 de outubro de 2012

BULIR



Costumo ouvir alguns vocábulos e pensar que não se encontram no dicionário, geralmente quando é dito por pessoa mais humilde, ou às vezes do interior, ou dos estados do Norte e Nordeste. Acredito serem palavras de um uso muito regional, quase uma gíria, enfim, nada que se deva encontrar num dicionário, inda mais ter uma etimologia.
E eu sempre quebro a cara, vou no dicionário e lá está o vocábulo, perfeito , me dá aquela piscadela como quem diz: _ te peguei.
Pois foi o que aconteceu esse dia, um amigo deu-me uma palavra e pediu-me um texto em torno dela.
A palavra – bulir.
Nem tão pouco usada assim, mas duvidei dela.
Abri o Houaiss e ela ali, firme e forte, cheia de sentidos; olhei todos e o que mais me sorriu foi o último, peguei a pista. Mais adiante a etimologia: direto do latim, quase igual.
Ai que eu ainda morro de vergonha.
“...
transitivo indireto
10   Regionalismo: Nordeste do Brasil.
tirar a virgindade de; deflorar, seduzir
Ex.: b. com uma moça

lat. bullìo,is,ívi ou ìi,ítum,íre 'ferver, agitar(-se), irritar(-se)'; ver bol-; f.hist. sXIII bolir, sXIV bulir, sXV abollyr

O texto então veio, muitas reminiscências, uma delas a de uma oliveira que nunca vi que não fosse em foto.
A foto, a primeira que lembro ter visto é a que apresento abaixo, emprestada da página de Tyloan, no Flickr, que pode ser vista aqui em

conta-nos o autor da foto, que estas oliveiras são do Jardim de Getsêmani, alguma tão antiga, com mais de dois mil anos e por isso chamada de árvore testemunha


BULIR
Havia uma cama, duas toalhas estendidas, uma lâmpada fraca, quatro paredes, uma porta, e o silêncio, o barulho ocasional da televisão e vozes, algum arfar também.
E as palavras que brotavam como água fresca de fonte em terreno escaldante, havia também uma árvore, oliveira muito antiga, seus troncos e galhos testemunharam tantos ventos e tormentas, e contava-nos sobre isso com seus desenhos caprichosos retorcidos.
Ah, sim, e o poema, e a música no fundo, ou a música era da cadência do poema; não sei mais.
Sim, era sedução.
Como atirar rosas estrelas cometas asteróides.
E a verdade de sentir os espasmos e estremecimentos e a virtude quente e macia calma.
Ora, por que não bulir aí?

SP 25 10 2012

2 comentários:

  1. Rosas estrela cometas e "asteróides (?) verdes", ja posso bulir aqui. Magica e viagem pura..

    ResponderExcluir
  2. Sim , nessa viagem tinha companhia. A melhor.

    ResponderExcluir